quarta-feira, 25 de janeiro de 2012


Happiness

5


                        Depois de terminar meu namoro, procurei me manter afastada de coisas que me faziam lembrar do meu ex, simplesmente não consigo terminar um namoro e no outro dia sair felizinha na rua como se nada tivesse acontecido. Não fiquei mal pela aquela antiga história de “eu não consigo viver sem ele” mas sim por tentar evitar um sentimento que ainda é/era forte dentro de mim.
                        Ficava em casa, dormindo, ouvindo música, lendo, me distraindo na internet, ocupando minha mente, e esse meu lado caseira teve como uma conseqüência uma aproximação maior da minha família, meu pai, que eu via até então como um destruidor de sonhos, tornou-se apenas o homem mais importante da minha vida por me amar mais que a si mesmo.
                        A relação com a minha família melhorou, o horário de chegar em casa aumentou e minhas amizades se tornaram mais fortes (com aquelas pessoas que realmente valem a pena) e fora a quantidade de pessoas que eu conheci e nem sabia como tinham idéias tão boas em mente.
                        Aos poucos, eu estava me tornando mais forte e nem percebia, comecei a fixar meus pensamentos no que as pessoas da roda de amigos falavam e não em “o que será que ele está fazendo agora” e por incrível que pareça, a felicidade que antes era de fachada, começou a vir de dentro, espontânea, pura, verdadeira. Percebi também que enquanto eu estiver feliz, fazendo coisas que me deixam feliz, o meu astral, a minha vibe positiva, pode ajudar outras pessoas a melhorarem o seu dia.
                        Comecei a me valorizar, a me sentir mais bonita. Posso dizer que me tornei auto-suficiente, não por não precisar de amigos e família, não me entendam mal porque é totalmente ao contrário, eles são minha base desde sempre e sempre contarei com eles em todos os momentos da minha vida. Mas o auto-suficiente é em relação ao fato de me tornei completa, não preciso de ninguém pra preencher buracos já que eu sou COMPLETA. Sou cheia de amor próprio e me auto-estimo antes de qualquer coisa.
                        Passei a ir em festas pra dividir experiências, ouvir bêbados falando sobre suas vidas, dançar, provar novas bebidas, aproximar de pessoas que não trocava nem um oi, conhecer opiniões, curtir meus amigos, beber com moderação, ou não. E o mais importante, chega de me comparar com os outros.Comparações? Só com melhor que eu possa ser. Porque ultimamente, a única coisa que eu exijo de mim é minha própria felicidade.
                   

5 comentários:

Agnes disse...

Adorei o texto. Muito show.
Beijo :*

Lorraine disse...

muito obrigada :)

@priicii disse...

as grandes mudanças muitas vezes podem mudar nossa vida totalmente para melhor
adorei o blog e já estou seguindo de volta
garotaazarada.blogspot.com

GabiiVinholi disse...

Nossa flor, muito show o seu textoo
ée isso mesmo cabeça erguida sempre (:
PARABÉNS VIU *--*

seguindo aquii também s2'

Lorraine disse...

ler isso me deixou muito feliz viu! bj :)

Postar um comentário